fbpx

Desenvolvendo o potencial de gás da Mauritânia

Trouvez la version anglaise ici

Desde a descoberta de um grande depósito de gás na costa da Mauritânia em 2015 pela Kosmos, uma empresa de exploração e produção em águas profundas, o interesse na região explodiu, resultando no desenvolvimento do campo de gás natural Tortue. Em Dezembro de 2016, a gigante multinacional petrolífera britânica BP, em parceria com a Kosmos Energy, entraram em um acordo, adquirindo 62% de interesse de trabalho, incluindo operacionalidade, dos blocos offshore mauritanos C-6, C-8, C-12 e C-13.

Com o primeiro gás previsto para ser produzido na primeira metade de 2021 e com potencial de produção de 30-50 anos, projeto espera fornecer uma fonte significativa de receita para o país da África ocidental e também demonstrar o compromisso da BP ao investir no desenvolvimento dos recursos da Mauritânia, de uma ética e sustentável.

O campo offshore de gás natural liquefeito (GNL) de Tortue, na Mauritânia, constitui parte do inovador projeto internacional Greater Tortue Ahemyin (GTA), localizado na fronteira marítima entre a Mauritânia e o Senegal. À uma profundidade de 2.850m, o projeto GTA possui uma estimativa de 15 trilhões de pés cúbicos (tpc) de gás natural ao mesmo tempo em que faz parte de uma área com extensão de 33.000km, compreendida pelos acordos entre BP e Kosmos, tida com um potencial entre 50-100 tpc de gás.

Fase 1 Decisão Final de Investimento Final

Em Dezembro de 2018, a BP e seus parceiros no projeto, Kosmos Energy (%), e companhias nacionais petrolíferas, Petrosen (5%) do Senegal, e a Société Mauritanienne Des Hydrocarbures et de Patrimoine Minier (5%), da Mauritânia, anunciaram a Decisão Final de Investimento (DFI) para a Fase 1 no desenvolvimento do GTA, um projeto de $4,8 bilhões. Este projeto é o primeiro grande projeto de gás a obter o status DFI no grande conjunto de sub-bacias ao longo das costas da Mauritânia, Senegal, Gâmbia, Guiné-Bissau e Guiné-Conacri (MSBGC) com expectativa de fornecer GNL para exportação global, assim como para uso doméstico.

O consórcio tem como meta a conclusão de 80% da Primeira Fase do projeto até o final de 2021. A BP garantiu um acordo de 20 anos para a utilização da embarcação de gás natural liquefeito flutuante (GNLF) Gimmi da operadora e transportadora de gás GNL Golar, com entrega prevista para 2023. Localizada em um hub nearshore na fronteira marítima entre Mauritânia e Senegal, a instalação GNLF foi desenvolvida para produzir aproximadamente 2,5 milhões de toneladas de GNL anualmente até 2025, com gás transferido de uma embarcação submarina em águas ultra profundas, e de flutuação, produção, armazenamento e descarregamento em águas intermediárias (FPAD).

Este ano, a BP iniciou a fase de construção da extensão de 1km do terminal de GNL, a 10km da costa, o qual processará gás situado à 2.850, abaixo do chão do oceano, a 125 km da costa. Este gás será extraído de poços perfurados e transportado através de linhas de fluxo até o sistema de produção de GNLF modular, onde será preparado para exportação para mercados europeus e internacionais, assim como para o uso doméstico dos países da região MSGBC.

Com o primeiro gás do projeto estimado para 2023, a BP e a Kosmos Energy anunciaram que todos os grandes fluxos – FPAD, GNLF, terminal hub, e infraestrutura submarina – estão no caminho certo, depois de um atraso de um ano do projeto devido aos impactos da pandemia da Covid-19.

Desenvolvimento Local

Através de seus investimentos e do desenvolvimento de projetos na região, a BP tem demonstrado seu compromisso em engajar o desenvolvimento de competências da população local da Mauritânia. Iniciativas de treinamento e programas de educação de longo prazo estão sendo desenvolvidos entre a companhia petrolífera multinacional e partes interessadas tanto governamentais como não-governamentais.

Em 2017, a BP iniciou o programa de Bolsa de Estudos em Excelência da Mauritânia, o qual ajuda estudantes a participarem de um curso de engenharia de quatro anos na respeitada Grandes Écoles, instituição especializada de ensino na França, Marrocos e Tunísia.

A BP é também membro fundador da Iniciativa para a Transparência nas Indústrias Extrativistas, um padrão global para a boa governança do petróleo, gás e recursos minerais, que promove a inclusão benéfica de recursos naturais para todos os cidadãos dentro dos países produtores de petróleo. Em Maio de 2018, a BP organizou o workshop “Governança em Petróleo e Gás – Aprendendo com o Passado” em Nouakchott, capital da Mauritânia, em parceria com o Centro Oxford para Análise de Economias Ricas em Recursos, assim ajudando e promovendo a transparência no setor de energia do país.

O projeto GTA é um dos mais ambiciosos projetos em GNL do continente de todos os tempos, e facilitará o desenvolvimento de capacidades locais entre engenheiros, técnicos, especialistas em logística, funcionários do setor de hospitalidade e profissionais dos setores de transporte, gerenciamento de resíduos, saneamento e administrativo. Assim oferecendo oportunidades para o desenvolvimento da economia da Mauritânia.

Além do desenvolvimento de capacidades, a BP indicou a facilitação de um plano de ação em biodiversidade, o qual será amplamente revisados por pares de cientistas, com alguns sugerindo que os planos de extração da empresa pode auxiliar no reabastecimento de vastas áreas do recife de coral na Bacia MSGBC.

Projeções Futuras

De acordo com a BP, a demanda por energia deverá crescer em 30% entre 2015 e 2030, demanda esta que será saciada pelo fornecimento crescente de projetos em gás natural e energia renovável.

Prestes a se tornar um pólo de classe mundial em GNL, a Mauritânia agora possui uma das maiores reservas comprovadas de gás natural per capita na África. Dentro das próximas décadas, o Governo da Mauritânia, um país com um PIB de $7,6 bilhões, indicou o favorecimento de um adicional de $19 bilhões em suas receitas, através do projeto GTA.

Tido como o maior projeto submarino já encabeçado pela BP, se estendendo por uma área de 33.000km2, e com um potencial de produção de 30 à 50 anos, a BP indicou que o campo GTA se tornará um dos espaços industriais abandonados – isto é quando uma empresa compra ou arrenda instalações existentes – mais competitivos para a expansão de projetos em GNL.

Em resposta à crescente demanda por energia renovável e ao crescente interesse das partes interessadas internacionais em investir, desenvolver e ter sucesso na África, a Energy Capital & Power realizará a conferência e exposição MSGBC Oil, Gas & Power 2021 em 13-14 de dezembro de 2021. Focada no aprimoramento de parcerias regionais, estimulando o investimento e o desenvolvimento nos setores de petróleo, gás e energia, a conferência unirá as partes interessadas internacionais regionais com oportunidades africanas, servindo como uma plataforma orientada para o crescimento para o setor de energia da África. 

Share This Article

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on email
Matthew Goosen

Matthew Goosen

Matthew Goosen is a Video Editor and Content Writer at Capital Energy & Power. He holds an Honours Degree in Film and Media Studies at the University of Cape Town and is currently undergoing his Masters Degree. Born in Pretoria and raised internationally, he has been living in Cape Town since 2013.

Subscribe to our newsletter

Sign up for latest news and event info

Copyright © 2021 Energy Capital & Power. Privacy Policy · Terms of Use